A FONTE DE OSASCO

Eng. Agr. José Luiz Viana do Couto

jviana@openlink.com.br

 A fonte de Osasco-SPO amigo Vanderley, do Orkut, sempre me pergunta sobre a recuperação de fontes (olhos d´água ou nascentes) de sua cidade, Osasco-SP. Como ele nunca dizia onde elas estavam, eu sempre imaginei a zona rural ou, pelo menos, um sítio. E toma respostas genéricas. Cheguei a indicar-lhe o desenho de uma de minhas páginas, onde aparece o perfil de um terreno mostrando a linha piezométrica (ou de pressão) e a altura que a água sobe em poços perfurados ao longo da superfície. Aí eu lembrei de perguntar a localização da fonte e ele me disse o nome da cidade e (pasmem) da Praça Pública onde ela se encontra.

 

Fui no Google Earth (23o33´46S 46o46´49W), marquei a opção ´Places of Interest´ da aba lateral e consegui achar a tal Praça Antônio Agrela. Lá tem até uma foto da fonte. A fonte está na cota (altitude) 768m. Observando em volta, notei algumas áreas (verdadeiras ´ilhas´) de mata. Aqui estão 4 delas:

Ao Norte, distante 640m, Av.Estados Unidos, cota 776m.

Ao Sul, distante 790m, Parque Municipal Chico Mendes, cota 783m.

A Leste, distante 530m, Praça da Seringueira, cota 788m; e

A Oeste, distante 1000m, Bairro Bela Vista, cota 791m.

 

Com esses dados, a que conclusão você chegaria ? Eu cheguei a pelo menos 3:

1a.) A Praça Antônio Agrela fica numa depressão topográfica (bacia), já que está rodeada de terrenos de cota mais elevada (confira);

2a.) Os 4 locais citados (além de outros, menores), por serem BEM vegetados, servem de recarga e alimentam a fonte; e

3a.) Devido à relativamente pequena distância da fonte, um aqüífero subterrâneo deve levar a água da chuva infiltrada até a pracinha do Vanderlei.

 

Ele me disse que a vazão estava diminuindo e que gostaria de fazer com que a água que sai limpa, atualmente está indo para o esgoto e sendo desperdiçada, jorrasse na superfície para aproveita-la num processo paisagístico.

 

Bom. Agora o Google Earth não resolve MESMO, além de dar uma pálida idéia da densidade demográfica (maioria das habitações formadas de casas de um único piso) e do tipo de pavimentação. Outra informação (ambiental) importante dada pelo G.E. é que num raio de 2 km só existem 2 (dois) postos de gasolina, um ao Norte e outro a Oeste da fonte. Menos possibilidade de contaminação com hidrocarbonetos.

 

 SUGESTÕES PARA REVIGORAR A FONTE

1 – Preservação das áreas verdes, com benefícios da Prefeitura tipo “Guardião das Águas” (pagamento por serviços ambientais).

2 – Substituição gradual dos pisos por placas semi-permeáveis, inclusive nos estacionamentos, ruas e locais públicos.

3 – Reforma gradual e sistemática das praças e parques da cidade, onde couber, para dota-las de depressões gramadas que funcionem como bacias de retenção (para captar a água das chuvas), evitando assim as enchentes e alimentando o lençol freático.

4 – Adotar política de arborização urbana, para aumentar a retenção e infiltração da água da chuva no solo, além dos benefícios próprios que ela proporciona.

5 – Implantar Educação Ambiental no currículo escolar e na mídia local.

 

O objetivo deste texto foi mostrar que uma ferramenta gratuita (o programa Google Earth), para o qual a maioria dos Profissionais de Engenharia torce o nariz, pode ser utilizada em pequenos diagnósticos ambientais prévios, com um mínimo de bom-senso, por alguém que nunca pisou no local do estudo.

 

Assim, este pequeno exemplo de prospecção/auditoria ambiental mostra que, ao lançarmos mão de observações singelas como, p.ex.:

a)     proximidade geográfica (distância matas-fonte);

b)     feições do terreno (declividades e concavidade);

c)      ciclo hidrológico (fluxo subterrâneo da água);

d)     uso de base georeferenciada (Google Earth); e

e)     interferências no fluxo (redes de água, esgotos, luz, telefone, pisos impermeáveis, construções);

 

é possível diagnosticar problemas ambientais que, para o leigo, seria até difícil de imaginar. Ou, como reza a cartilha dos ambientalistas: devemos…

Pensar globalmente e agir localmente.

 

E esta minha estorinha não teria sido possível, sem a presença de uma peça chave (um observador local): o Vanderlei. Portanto, palmas pra ele !

 

Para VOCÊ, amigo, um conselho:

 

Use o Google Earth em estudos ambientais (sem vergonha) você também.

 

P.S.

O Dia Internacional da Água será celebrado em 22 de março. Esta é a minha modesta contribuição para a sua comemoração. O Brasil (e o mundo) precisa muito de indivíduos como o Vanderlei, que se preocupa com uma simples fonte pública de água da sua cidade. Siga o seu exemplo.

 

4 Respostas

  1. Olá!
    Gostamos muito do seu blog! O Mundo precisa de mais iniciativas verdes como essa!
    Um abraço!

  2. Estamos fazendo um Movimento na Natureza e gostaríamos de convidá-los para tal evento.

    Exatamente preservando o verde como seu texto aqui.

    link do blog:http://movimento-natureza.blogspot.com/

    Obrigada

  3. Oi
    Primeiramente parabens pelo blog ,eu o acompanho e sempre encontro muita coisa interessante.
    Recebe um selo e quero compartilha-lo com os blogs que mais me identifico na internet e o seu é claro está entre eles.
    Parabéns!!
    http://planetadobem.blogspot.com/2009/03/seu-blog-e-fabuloso.html

  4. MUNDO VERDE. Obrigado pelo apoio. É claro que vou continuar. Um abraço!

    GEORGIA. Grato e honrado com o convite. Diga como posso participar.

    CLEISSON. Obrigado. Visitarei o Planeta do Bem.
    Abração!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: