Sucata que vira brinquedo, Recicloteca e Outras Idéias Legais

Descobri essa semana, que muito se pesquisa em busca dos brinquedos feitos à partir de PET e de outros materiais recicláveis. Resolvi reunir aqui, um pouco do que eu descobri, com direito até à passo a passo dos brinquedos, para ninguém dizer que não teve infância ou que não fez a infância feliz de uma criança, por falta de idéias.

É bom que o adulto saiba que o que preenche a infância com os ingredientes necessários para torná-lo um adulto feliz e equilibrado, passa longe das opções caras ou importadas. Criança não gosta de brinquedo caro. Criança gosta de brinquedo. Criança gosta de brincar. Quem não se lembra de uma infância perfeita, passada no quintal, entre árvores, arco e flecha, feito de galhos finos de árvores ou de bambús?    A mídia, que estimula a criança a pensar que o brinquedo caro o fará mais feliz, deveria ser severamente fiscalizada, assim como os comerciais que associam um carro novo à poder, felicidade e sucesso e que nos tornam adultos infelizes, desfilando com seus carros possantes numa cidade repleta de buracos, engarrafamentos quilomêtricos e muita, muita poluição.  Hoje, que é feriado nacional, tire o dia para construir um brinquedo junto com seu filho. Não espere o dia das crianças ou o Natal chegar. Faça hoje mesmo: Umas caixinhas de Leite Longa Vida, umas tampinhas de refrigerante, um pouco de cola e você verá, na sua frente, a transformação de crianças apáticas, viciadas em desenhos e vídeo-games, em crianças sorridentes, cheias de imaginação e Alegria!

Deixo, abaixo relacionados, os links dos sites que encontrei e que ensinam a fazer, fácil, fácil, um brinquedo novinho, a partir do …. Lixo(?) Vamos brincar de ser criança? Tesouras e imaginação à obra!                               Clique!

Clic Filhos

Recicloteca

Algumas receitas de brinquedos, bastante simples, retiradas do site:

http://www.brinquedotecavirtual.unopar.br/#

Chocalho de lata de alumínio

Você vai precisar:

01 lata de alumínio
Semente de feijão, milho, arroz ou pedrinhas
Fita adesiva

Modo de fazer:

Você pode enfeitar seu chocalho com figuras que você imprime e cola. Ou pode pintar sua lata com tinta plástica.
Encha sua lata com a semente que você tiver ou pedrinhas.
Cada semente fará um barulho diferente e você pode fazer vários chocalhos conseguir diversos sons.
Vede o buraco da latinha com fita adesiva e cole uma figura por cima para dar um acabamento legal.

Flauta de Papelão

Você vai precisar:
01 tubo grande de papelão – use o tubo vazio de papel alumínio ou tubo de filme de PVC aqueles de embrulhar comida.
Um pedaço de papel vegetal
Elástico ou fita adesiva

Modo de fazer:

Fure o tubo com lápis ou recorte os furos, mas cuidado: se for usar alguma coisa que corte, peça ajuda para um adulto, ok?
Prenda o pedaço de papel vegetal em uma das extremidades com elástico ou fita adesiva.
Toque a flauta soprando pelo lado que ficou aberto e fechando e abrindo os furos com os dedos

Violão de Caixa de Sapatos

Você vai precisar:
01 caixa de sapatos
06 elásticos
Fita adesiva

Modo de fazer:
Recorte uma abertura na tampa da caixa de sapatos.
Prenda a tampa com fita adesiva.
Coloque os 06 elásticos no centro da caixa, sobre o buraco, conforme a figura acima e divirta-se!

Não deixe de visitar o Site Toys from Trash (brinquedos de lixo)! O site está em inglês, mas os passo a passo, ilustrados são, na maior parte das vezes, muito simples de intuir e compreender.  Resgate o menino que existe em você e estimule seus filhos nessa viagem de resgate à infância com sustentabilidade.

TOYS FROM TRASH

Vassoura de Garrafa PETE o site Setor Reciclagem também tem inúmeras idéias e passo a passo para se construir à partir do descartável. Destaque para a vassoura feita de garrafas PET, além de muitas outras idéias legais.

Provavelmente, seus filhos vão esquecer aquele brinquedo caríssimo que você comprou, no Natal de 2003, mas com certeza vão lembrar para sempre dos dias em que você, junto com eles, sentado na sala, construiu um brinquedo de papelão, ou um bichinho do Chuchu meio murcho esquecido na gaveta da geladeira.  E no final, é isso que conta.

Matérias Relacionadas:

Feliz Natal com PET

Garrafas PET – Idéias brilhantes!

Mais sucata …

Natal com PET

Anúncios

Reciclar para Pré-Ciclar?

Compras

“E eis que um belo dia você toma a decisão de fazer a sua parte por um planeta menos poluído e viável para as futuras gerações…
E por onde começar?É tanta coisa que você já leu na internet, já viu na televisão, já ouviu dos amigos – um oceano de informações, às vezes até contraditórias.

Mas você quer fazer alguma coisa, você resolveu que não quer mais ficar simplesmente observando o caos se instalar…”

 Não deixe de ler o texto leve e gostoso da Mercedes Lorenzo, lá no Folha Verde,

 http://folhaverde.wordpress.com/2007/10/28/reciclar-para-pre-ciclar-2/

Até as Cascas! Dicas para economizar de forma saudável

 

 Algumas atitudes comuns do dia a dia praticadas pela maioria da população, como por exemplo, cozinhar os alimentos como cenoura, chuchu, e legumes em geral sem a casca, podem retirar as barreiras naturais de proteção destes alimentos contra a perda de seus elementos nutritivos durante a fervura. Excluindo a casca comestível de algumas frutas, acabamos perdendo muitas fibras, que são importantíssimas para o bom funcionamento do intestino. Também não se deve cozinhar os legumes em água e depois jogá-la fora, já que todas as  vitaminas hidrossolúveis (aquelas diluídas na água) se perdem. 

Você quer saber mais dicas? 

  • Dicas para evitar maiores perdas dos alimentos:

  • Quando for usar uma metade de abacate, deixe a outra com o caroço – isso evita que ela se deteriore com rapidez;

  • A abóbora é altamente nutritiva, e devemos nos lembrar de aproveitá-la inteira: casca, folhas, polpa e o cabo. Seus caroços, quando torrados com sal, servem como aperitivo. Use o mesmo procedimento para a soja e sementes do melão;

  • Cascas, talos e folhas das hortaliças são ricos em fibras e podem ser utilizados em refogados, sopas, bolinhos, recheios para tortas, farofa e etc;

  • Não adicione bicarbonato de sódio ou outras substâncias químicas na água do cozimento para acentuar sua cor. Alguns nutrientes são destruídos por elas;

Agora, aprenda a reaproveitar sobras de alimentos em algumas receitas interessantes com ingredientes que você nunca pensou em utilizar na sua cozinha:

Pó de Casca de Ovo Separe a casca, ferva por cinco minutos e seque ao sol. Bata no liquidificador e depois passe por um pano fino. Deve ficar como pó. Utilize uma colherinha nos refogados, sopas, arroz, feijão, molhos, etc.. O pó de casca de ovo é riquíssimo em cálcio, nutriente importante para o crescimento e prevenção da osteoporose, na gravidez e amamentação.

Talos de Agrião Faça bolinhos ou refogados com carne moída.

Folhas de Brócolis ao Forno

600 g de folhas de brócolis (1 pé)
2 ovos batidos
2 colheres (sopa) de margarina
¼ xícara (chá) de farinha de rosca
2 colheres (sopa) de queijo ralado
sal à gosto
Cozinhe um pouco as folhas de brócolis com sal e escorra. Misture a farinha de rosca com a margarina derretida e junte todos os outros ingredientes, menos o queijo ralado que deve ser salpicado por cima. Asse em forno moderado por 30 à 40 minutos.

Cascas de Goiaba

Lave-as bem e bata-as no liqüidificador com água. Adoce à gosto.

Cascas da Maçã

Utilize-as no preparo de sucos e chás.

Doce de Casca de Maracujá

Lave 6 maracujás, descasque-os deixando toda a parte branca e dura com água. Deixe de molho de um dia para outro. Escorra, coloque em uma panela com 2 xícaras de açúcar e 3 xícaras de água. Deixe apurar. Se desejar acrescente canela.

Folhas de Couve-Flor

Prepare sopas com folhas desta hortaliça.

Bolinhos de Folhas de Beterraba

1 copo de talos e folhas lavadas e picadas
2 ovos
5 colheres (sopa) de farinha de trigo
2 colheres (sopa) de água
Cebola picada
Sal à gosto
Óleo para fritar
Bata bem os ovos e misture os outros ingredientes. Frite os bolinhos em óleo quente e escorra em papel absorvente.

Folhas de Uva

Podem ser enroladas com carne moída e servidas com molho de tomate.

Folhas de Figo

Pode-se utilizá-las no preparo de licores, chás ou xaropes.

Doce de Casca de Banana

5 copos de cascas de banana nanica, bem lavadas e picadas
2 1/2 copos de açúcar.
Cozinhe as cascas, em pouca água, até amolecerem. Retire do fogo, escorra, reserve o caldo do cozimento e deixe esfriar. Bata as cascas e o caldo no liqüidificador e passe por peneira grossa. Junte o açúcar e leve novamente ao fogo lento. Mexendo sempre, até o doce desprender do fundo da panela.

Aperitivo de Cascas de Batata

Cascas de batata
Óleo e sal.
Lave as cascas e frite-as em óleo quente, até ficarem douradas e sequinhas. Tempere à gosto.

Pó de Folha de Mandioca

A folha de mandioca é rica em vitaminas e ferro. Seque as folhas de mandioca na sombra e depois bata no liqüidificador. Use uma pitada de sal ao preparar um prato.

Molho de Cascas de Berinjela para Massas

2 dentes de alho picados
3 colheres (sopa) de óleo
2 copos de cascas de berinjelas cortadas em tiras de 1 cm de largura.
1 1/2 copo de água
Sal e pimenta do reino à gosto
1 colher (chá) de orégano
4 tomates sem pele e sem sementes ou
6 colheres (sopa) de polpa de tomate.
Doure o alho no óleo. Junte as cascas de berinjelas e refogue por 5 minutos. Junte a água, o sal, a pimenta do reino, o orégano e os tomates. Cozinhe por uns 5 minutos até engrossar ligeiramente. Dá para meio pacote da massa de sua preferência.

Bolinho de Talo de Brócolis

2 xícaras (chá) de talos de brócolis cozido
2 ovos
1 cebola média picada
Sal à gosto
6 colheres (sopa) de farinha de trigo
Óleo para fritar.
Bata no liqüidificador os talos cozidos juntamente com os ovos. Retire e misture os ingredientes restantes. Frite as colheradas em óleo quente.

Rama de Cenoura

Com o ramo de cenoura, experimente preparar bolinhos, sopas, refogados e enriquecer tortas e suflês .

Ramas de Cenoura Crocantes

1 xícara de farinha de trigo
1 colher (sopa) de óleo
Sal a gosto
30 raminhos de folhas de cenoura
Óleo para fritar
Misture a farinha com o óleo, o sal e 1/2 xícara de água. Passe ligeiramente os raminhos na massa sem cobrí-los totalmente e frite no óleo quente.

Doce de Casca de Melancia

Cascas de 1/2 melancia
1/2 kg. de açúcar
Cravo à gosto
Canela em pau à gosto
Remova a parte verde da casca, passe a polpa branca pelo ralador grosso e reserve. Misture o açúcar com 1/2 copo de água, junte cravo, canela e faça uma calda deixando ferver por 10 minutos .

Patê de Talos de Legumes

2 colheres de talos de beterraba e de espinafre
1 copo de ricota ou maionese
Sal e pimenta à gosto.
Bata tudo no liqüidificador. Sirva gelado.

Pudim de Casca de Goiaba

1 copo de suco de casca de goiaba
1 copo de água
2 colheres bem cheias de maisena
3 colheres bem cheias de açúcar.
Dissolva a maisena, junte os demais ingredientes e misture bem. Leve ao fogo mexendo sempre até engrossar. Despeje em forma umedecida e leve à geladeira.

Geléia de Casca de Abacaxi

Cascas de um abacaxi
4 copos de água
Açúcar, o quanto baste
3 colheres bem cheias de maisena .
Lave com uma escovinha as cascas do abacaxi. Bata as cascas junto com a água no liqüidificador. Passe por uma peneira. Junte o açúcar e a maisena dissolvida. Leve ao fogo e deixe cozinhar bem. Despeje em pirex previamente umedecido. Sirva gelado.

A receita abaixo foi extraída do livro “Diga não ao desperdício” – Secretaria da Agricultura do Estado de São Paulo

Doce de Casca de Abacaxi com Côco

Casca de 1 abacaxi picada
2 xícaras (chá) de açúcar
1 pacote de 100g de côco ralado
1 colher (sopa) de margarina
Descasque 1 abacaxi, lave a casca e ferva com um pouco de água.
Bata a mistura no liquidificador e coe.
A parte que ficou na peneira leve ao fogo em uma panela e acrescente o açúcar, o côco, a margarina e o cravo, se quiser.
Mexa sempre até desprender do fundo da panela. Dá 16 porções

Por
Equipe de Jornalismo
Planeta Natural
jornalismo@planetanatural.com.br

Quer saber mais sobre o assunto?

Visite a Comunidade no Orkut: Nada se Perde, Tudo se Aproveita,  que fica em http://www.orkut.com/Community.aspx?cmm=13790462 

 

Assista o vídeo excelente do Globo Repórter onde se aprende a fazer “Sal de Ervas”, que é uma mistura simples, excelente para combater o colesterol e a pressão alta, além de dar mais dicas sobre o cozimento dos alimentos em tempo mínimo, numa economia de gás e a manutenção dos nutrientes dos vegetais. O bolso agradece, além da nossa saúde (e a do Planeta também)! Clique na imagem abaixo, para assistir .

Globo Repórter

Assista ainda o vídeo do Programa Cidades & Soluções, com o Jornalista André Trigueiro, dessa vez, falando sobre o desperdício e iniciativas de alguns CEASAS de cidades do Brasil. Porque não no Rio de Janeiro ? Essa é a pergunta que não quer calar.

Descarte de Lâmpadas – Uma idéia luminosa!

Muito se tem recomendado,  para economia de energia e consequentemente menor impacto ao Meio  Ambiente, a substituição das tradicionais lâmpadas incandescentes pelas fluorescentes, de maior durabilidade e menor consumo.  Porém a pergunta que não quer calar é: 

Do que são feitas as lâmpadas fluorescentes e mais: onde descartá-las, após o seu uso?

Busquei algumas respostas e compartilho com vocês:

LÂMPADAS FLUORESCENTES

Uma lâmpada fluorescente típica é composta de um tubo selado de vidro preenchido com gás argônio e vapor de mercúrio à baixa pressão parcial. Nestas condições, o tubo está em vácuo parcial. O interior do tubo é revestido com uma poeira fosforosa composta de vários elementos. Espirais de tungstênio, revestidas com substância emissora de elétrons, forma os eletrodos em cada uma das extremidades do tubo. Quando a voltagem é aplicada, os elétrons passam de um eletrodo para outro, criando um fluxo de corrente, denominado de arco voltaico, ou descarga elétrica. Estes elétrons chocam-se com os átomos de argônio, os quais por sua vez emitem mais elétrons. Os elétrons chocam-se com os átomos do vapor de mercúrio, e energizam o vapor causando a emissão de radiação ultravioleta (UV). Quando os raios ultravioletas atingem a camada fosforosa que reveste a parede do tubo, ocorre então a fluorescência, produzindo luz visível.

COMO OCORRE A DESCONTAMINAÇÃO

 As lâmpadas fluorescentes são, primeiramente, classificadas por comprimento e diâmetro e em seguida são encaminhadas para o processo de descontaminação propriamente dito.  

O processo de descontaminação ocorre na máquina de descontaminação que está enclausurada e sob pressão negativa para que não haja fuga do vapor de mercúrio.  A máquina fará o corte e a limpeza das lâmpadas através de processo automatizado.

Durante o processo de corte o vapor de mercúrio é capturado, através de exaustão forçada, em filtros de carvão ativado. O ar carregado de partículas de pó de fosfato exaurido durante a limpeza das lâmpadas passa através de filtros onde as partículas ficam retidas e o ar segue passando pelo filtro de carvão ativado saindo limpo para a atmosfera. O tubo de vidro descontaminado é recolhido no final da linha de produção.

 

LÂMPADAS DE VAPOR DE MERCÚRIO

Lâmpadas do tipo vapor de mercúrio são lâmpadas de descarga, do tipo alta pressão, pertencentes a um grupo denominado HID – High Intensity Discharge . Nestas lâmpadas, uma pequena quantidade do metal Mercúrio (Hg), no estado líquido, é colocado em uma cápsula de vidro com gás Argônio em seu interior. O Argônio serve para ativar o arco voltaico que é formado entre eletrodos colocados nas extremidades da cápsula. Durante o aquecimento inicial da lâmpada, o Mercúrio gradativamente se vaporiza, enquanto uma luz fraca é produzida. A pressão aumenta a seguir e a luz produzida pelo arco voltaico com o vapor de mercúrio a alta pressão ganha intensidade. Na realidade, o que o arco emite são raios UV, invisíveis ao olho humano. A ampola, no entanto, é montada no interior de um bulbo revestido internamente com uma camada de fósforo, que passa a emitir luz assim que recebe os raios UV. Utilizadas geralmente em iluminação pública, estádios, fábricas, etc.

O mercúrio é considerado o elemento potencialmente mais perigoso entre os constituintes das lâmpadas, encontrando-se num estado e composição bastante volátil nas condições normais de pressão e temperatura.Ao final de sua vida útil as lâmpadas contendo mercúrio são, na maioria das vezes, destinadas aos aterros sanitários contaminando o solo e, mais tarde, os cursos d’água. A presença de mercúrio nas águas, mesmo que em pequenas quantidades, representa um grande problema ecológico devido à sua bioconcentração, ou seja, a concentração de mercúrio aumenta nos organismos animais com a passagem através da cadeia alimentar, devido ao depósito do metal em vários tecidos vivos.Assim, os organismos situados no final da cadeia alimentar apresentam uma concentração mais elevada e, por vezes, perigosa para o próprio animal ou para os que deste se alimentam, originando sérios problemas de saúde pública, podendo intoxicar comunidades inteiras, além dos prejuízos econômicos que daí possam advir.A via respiratória é a mais importante via de penetração e absorção do mercúrio pelo organismo do ser humano. A ação tóxica do mercúrio se manifesta, sobretudo, nas células do sistema nervoso, originando o quadro clínico característico do mercurialismo, com tremores das mãos e eretismo, que é um comportamento anormal e introvertido.A exposição mercurial tem provocado profundos efeitos sobre a saúde humana. Antologicamente, um dos mais trágicos exemplos de envenenamento pelo mercúrio aconteceu na Baía de Minamata – Japão, na década de 1950, onde mulheres grávidas foram expostas a altos níveis de mercúrio através do consumo de peixes contaminados. Como resultado desta exposição, seus descendentes desenvolveram múltiplos sintomas neurológicos (microcefalia, hipoplasia e atrofia do cérebro).

É importante salientar, porém, que as lâmpadas não são os únicos produtos ou resíduos contendo mercúrio. O mercúrio é amplamente utilizado em centenas de aplicações industriais e domésticas.

LÃMPADA DE VAPOR DE SÓDIO

Lâmpadas do tipo vapor de sódio são lâmpadas de descarga, pertencentes a um grupo denominado HID – High Intensity Discharge. Existem em duas variedades, alta pressão, também conhecidas como HPS (High Pressure Sodium) e baixa pressão, também conhecidas como LPS (Low Pressure Sodium). No primeiro tipo (HPS), uma pequena quantidade do metal Sódio (Na) misturada com Mercúrio (Hg) é colocada em uma cápsula de vidro com gás Xenônio (ou Argônio) em seu interior. Estes gases servem para ativar o arco voltaico que é formado entre eletrodos colocados nas extremidades da cápsula. Durante o aquecimento inicial da lâmpada, o Sódio/Mercúrio gradativamente se vaporizam, fazendo com que uma tênue luz seja emitida pela lâmpada. A pressão aumenta a seguir e a luz produzida intensidade. Na realidade o arco emite raios UV, invisíveis ao olho humano, mas a ampola é montada no interior de um bulbo revestido internamente com uma camada de fósforo, que passa a emitir luz assim que recebe os raios UV. No segundo tipo (LPS), uma pequena quantidade do metal Sódio (Na) é colocada em um tubo de vidro com gás Neon e Argônio. Estes gases servem para ativar o arco voltaico que é formado entre eletrodos colocados nas extremidades do tubo. Durante o aquecimento inicial da lâmpada, o Sódio se vaporiza passando a emitir luz visível. O tubo onde forma-se o arco e onde é colocado o Sódio é dobrado na forma de um longo “U” e montado dentro de outro tubo maior, que forma o corpo da lâmpada. Lâmpadas LPS constituem a fonte de luz mais eficiente entre todas as lâmpadas (consumo de energia – iluminação produzida), sendo por este motivo muito utilizadas em iluminação pública (em ruas e frequentemente em túneis). 

Prefeitura de Jahu lança cartilha sobre o destarte das lâmpadas. Clique para abrir o documento.

No Brasil, ainda são poucas as empresas responsáveis, que indicam locais para entrega das lâmpadas fluorescentes usadas. Abaixo, uma lista das empresas que recebem. Os dados foram coletados no site da OSRAM

Contato com empresas de reciclagem de lâmpadasEmpresas recicladoras:

Contato com empresas de reciclagem de lâmpadasA OSRAM acompanha o desenvolvimento do mercado de reciclagem de lâmpadas fluorescentes e de iluminação pública.Empresas recicladoras:

São Paulo
WPA AmbientalContato: José Ângelo Rigo
Dir. Comercial
Rua Aral, 115 – Jardim do Mar
CEP 09750-330
S. Bernardo do Campo – SP
Unidade Industrial: Rodovia PR 469, Km 03 – Parque Tecnológico Industrial
Pato Branco – PR
Tel.: (0xx11) 4330-1133 / Fax: (0xx11) 4330-0094
E-mail: wpa@wpaambiental.com.br
Web Site: www.wpaambiental.com.brEsta empresa só recicla reatores
REGIÃO SUL
Mega ReciclagemContato: José Carlos Capelup – Diretor Comercial
Rua Ilnah Pacheco Secundino de Oliveira, 261
CEP 81460-032
CIC – Curitiba – Paraná
Tel: (41) 3268-6030
Fax: (41) 3268-6031
Web Site: www.megareciclagem.com.br
E-mail: mega@megareciclagem.com.br
ApliquimContatos: Norberto Gaviolle / Fernando / Elimara
Escritório/Fábrica:
Avenida Irene Karcher, 1201 – Betel
CEP 13140-000 – Paulínia – SP – Caixa Postal 170
Tel.: (19) 3884-7184 / 3884-8140 / 3884-8141
Fax: (19) 3884-7562
E-mail: apliquim@apliquim.com.br
Web Site: www.apliquim.com.br
Brasil RecicleContatos: Márcia Rosário Goll – Comercial / Márcio Adilson Goulart – Diretor
Rua Brasília, 85 – Bairro Tapajós
CEP 89130-000 – Indaial – SC
Tel./Fax: (47) 3333-5055
E-mail: descontaminacao@brasilrecicle.com.br
Web Site: www.brasilrecicle.com.br
São Paulo
Naturalis BrasilDesenvolvimento de Negócios
Contato: Plínio C. Di Masi – Diretor
Rua Manuel Lopes, 85 – V. Municipal
CEP 13201-190 – Jundiaí – SP
Tel: (11) 4521-5645
Fax: (11) 4521-2793
E-mail: naturalisbrasil@naturalisbrasil.com.br
Web Site: www.naturalisbrasil.com.br
Rio de Janeiro
ELRECRecicladora de lâmpadas / Envirochemie Tratamentos Especializados Ltda.
Contato: Marcio Valli Braile – Gerente Comercial
Estrada da Curicica, 1280 – CEP 22770-552 Rio de Janeiro / RJ
Tel./Fax: (21) 2441 – 4393
Cel: (21) 9222- 8755
E-mail: marcio@enviro-chemie.com.br
Internet: www.enviro-chemie.com
Minas Gerais
RECITECReciclagem Técnica do Brasil Ltda.
Contato: Renato Barros – Diretor Comercial
Tel: (31) 3213-0898 / 3274-5614 / (31) 9139-1460 / (31) 9631-7272
Fábrica: Rua Zico Barbosa, 426 – Distrito Industrial Teotônio B. Freitas
CEP 33600-000
Pedro Leopoldo – MG
Tel: (31) 3660-8332
E-mail: comercial.recitec@uol.com.br
Web Site: www.recitecmg.com.br
Minas Gerais
HG DescontanimaçãoContato: Fábio Quirós da Silva – Diretor
Rua Projetada, 89 – Jardim Canadá
CEP 34000-000 – Nova Lima – MG
Tel.: (31) 3581-8725
Fax: (31) 3541-8696
E-mail: hg@hgmg.com.br
Web site: www.hgmg.com.br

Recebi a informação fresquinha, lá no Blog da FUNVERDE, sobre a empresa NORTEVISUAL, que dá destinação correta a estas lâmpadas, em sua própria empresa.
em  Maringá, no Paraná, que coleta as lâmpadas, a partir de um determinado número  e tritura com uma máquina chamada bulbox. Eles tem um pequeno vídeo no Youtube, que compartilho com os leitores.

A Casa do Bem

Encontrei esse Site e me encantei, pela simplicidade aliada à beleza com que ensina todo mundo (não só os adultos) à cuidarem bem do Planeta, a partir de nossas próprias casas.

“Levem” seus filhos nessa “viagem” pela Casa do Bem! Tem joguinhos para download e é possível visitar todos os cômodos, onde há mensagens sobre todo tipo de material. Simplesmente encantador! O site é uma iniciativa da Unilever e Wall Mart.

Entre! “A casa é sua!

Clique na Casa para entrar!

Litros de Luz!

Lâmpada, de Garrafas PET

Cada litro que se poupa ajuda a produzir energia – nas hidrelétricas e na engenhoca do mecânico Alfredo Moser. Em 2002, em pleno apagão, o mecânico de Uberaba percebeu que poderia escapar do breu pendurando no telhado de casa garrafas plásticas cheias de água.

“É uma garrafa PET de dois litros, com água limpa, duas tampinhas de água sanitária e um potinho de filme de máquina fotográfica para proteger do sol, para não estragar a tampa”, ensina seu Alfredo.

A invenção atravessou divisas e virou atração no Parque Ecológico Chico Mendes, na Grande São Paulo. Também atiçou a curiosidade da ciência. O engenheiro elétrico Clivenor de Araújo Filho mediu a intensidade de luz de cada garrafa. “Essa luminosidade equivale a uma lâmpada entre 40 e 60 watts”, constata.

A idéia luminosa de seu Alfredo se espalhou pela vizinhança. A dona de casa Geralda Monteiro de Melo tratou logo de instalar as tais lâmpadas de água em casa, até no banheiro.

“O banheiro era incrível de escuro e agora está claro. Ela não tem desvantagem nenhuma. Funciona quando chove, não tem goteira”, garante dona Geralda.

Aprovação também na oficina do torneiro mecânico José Marcos de Castro. A conta de luz baixou. As lâmpadas estão lá há dois anos e sem nenhuma manutenção. “É só deixar lá. Quando eu chego de manhã, já estão ligadas. À noite, desligam automaticamente”, diz.

A imagem é curiosa: bicos de garrafas para fora dos telhados no bairro todo.

Sem janelas e com o orçamento apertado, a dona de casa Lídia Arapongas também fez furos no teto para sair da penumbra. “É ótimo”, elogia.

Idéias simples como essas podem ajudar o planeta, mas precisam ser postas em prática com a urgência que a natureza agora impõe. Rafael e seus colegas de escola, seu Jairo e seu Alfredo já começaram a cuidar do futuro.

Assistam ao vídeo, vale à pena:

http://video.globo.com/Videos/Player/Noticias/0,,GIM681129-7823-LITROS+DE+LUZ,00.html

Faxina Sustentável II

Quando pensar em limpar a casa, faxina-no-planeta.jpgpense também na saúde do seu corpo e do planeta, escolhendo produtos simples e naturais, que não aumentem ainda mais a poluição existente. Através de materiais mais simples e naturais, podemos limpar,  não somente nossa casa, mas também ajudar a limpar o planeta.                       

                                 Soluções Alternativas:

*Limpar Tudo: Solução de 4 colheres de sopa de bicarbonato de sódio em um litro de água morna. Adicione uma colher de sopa de vinagre branco, ou suco de limão,
para dissolver a gordura.

* Desentupir pia: Jogue no ralo um punhado de bicarbonato de sódio, algumas colheres de vinagre branco e água fervente.

* Limpar vidro: Passe uma solução com água e vinagre, e depois use jornal para dar brilho.

* Desodorizante de ambiente: 4 colheres de sopa de vinagre num pratinho colocado sob um móvel. As plantas também funcionam como ótimos purificadores do ar.

* Para encerar: Misturar uma parte de óleo vegetal, como a linhaça, com outra parte de suco de limão ou vinagre, e aplique com uma flanela.* Para lustrar móveis: Fazer uma solução de uma parte de suco de limão e duas partes de óleo vegetal. Dê brilho com uma flanela.

* Desinfetante sanitário: Misturar bicarbonato de sódio com vinagre.

* Adubo natural: Um verdadeiro adubo para as plantas pode ser obtido com substâncias normalmente desprezadas e desperdiçadas. A água que cozinha as batatas (sem sal e fria), a água da lavagem do arroz, os restos de chá preto,
borra do café – tudo isso funciona como um excelente adubo. Da mesma maneira, as cascas de batata e de cenoura podem ser colocadas diretamente nos vasos para ajudar o desenvolvimento das plantas. 

* Pesticida natural: Ferver folhas de ruibarbo, durante meia hora, em quatro litros de água. Acrescentar uma colher de chá de sabão de coco, para a mistura aderir às folhas e expulsar os pulgões.

* Tira ruído : Se a porta estiver rangendo, faça uma mistura de raspa de grafite (ponta de lápis) e algumas gotas de óleo de cozinha. Coloque aos poucos nas dobradiças, fazendo um movimento de abrir e fechar a porta, para que a mistura penetre bem nas dobradiças.

* Tira manchas: Manchas de gordura são retiradas com uma mistura de água quente com sabão e umas gotas de detergente (de preferência, biodegradável). Lavar e, se restar algum vestígio, polvilhar talco e deixar por algumas horas; esfregar um pedaço de cebola também resolve. Manchas de frutas e doces desaparecem com álcool ou vinagre branco, e manchas de tinta de escrever devem ser lavadas com leite. Na falta do leite, também pode ser usado um punhado de sal umedecido com limão e colocado sobre a mancha, lavando-se em seguida. Mancha de café desaparece esfregando imediatamente, e com paciência, uma pedrinha de gelo até que a mancha suma.
   
* Espantar moscas e mosquitos: Folhas de louro, eucalipto e manjericão, maceradas em água ou espalhadas pelo  ambiente.

* Evitar traças: Usar cânfora, em vez de naftalina. É tão eficiente e menos tóxica.

* Afastar pulgas: Lavar os animais de estimação com água e sabonete (de preferência, feito com óleo de neem, que possui uma ação repelente sem ser tóxica). Enxugar. Aplicar a seguinte solução para manter as pulgas à distância:
 

2 colheres de sopa de alecrim fervidas em um litro de água. Espalhar também pela casa folhas de erva-de-Santa-Maria e poejo. 

* Afastar os parasitas das plantas: Colocar no liquidificador 3 cebolas, 1 cabeça de alho, 2 pimentas-malagueta e 1 colher de sabão em barra. Bater com meio litro de água e espalhar esta mistura nas plantas. Pode-se também colocar alguns dentes de alho em um pouco de água (se possível, de chuva) e deixar impregnar por cerca de dez dias. Usar, então, em um spray, para pulverizar as plantas. 

* Pasta de limpeza: Em vez de desperdiçar os restos de sabão (de preferência, biodegradável), reaproveite-os em uma excelente pasta de limpeza. Basta deixar os restos de sabão de molho em um pouco de água (o necessário para formar uma pasta) e, depois, misturar uma colher de vinagre e duas colheres de açúcar. Está pronta sua pasta de limpeza!
   
* Tira umidade: Coloque um recipiente com pedaços de carvão no fundo dos armários, ou então pendure pedaços de giz. Sempre com o cuidado de não sujar as roupas.

* Fórmula mágica: A velha combinação de água quente e sabão (de preferência, biodegradável) continua sendo o melhor detergente. Ela limpa pisos de cerâmica, ladrilhos e azulejos, tira manchas de parede e a gordura das superfícies. E, melhor ainda, ajuda a não poluir a Terra. 
   
Mais informações:
– Evite a indústria dos descartáveis: prefira o coador de pano, os alimentos fora das bandejas de isopor, o copo de vidro, o guardanapo de pano, enfim, todo produto que se use, lave e use novamente, em vez de jogar fora. Assim, você economiza os recursos da natureza e diminui a quantidade de lixo, um dos grandes problemas do nosso tempo;

Não “varra” nada com água, e sim com uma vassoura;

– Quando for molhar os vasos de plantas, coloque um prato embaixo para apanhar a água em excesso, e utilize essa água para molhar outras plantas;

– Quando trocar a água de seus animais de estimação, use a antiga para molhar as plantas;

– Cerca de 75% da água que consumimos em casa são gastos no banheiro. 32% do consumo doméstico de água vêm dos chuveiros: um banho de chuveiro gasta cerca de 20 litros de água por minuto. Por amor à vida do planeta, deixe a torneira aberta somente para se molhar e retirar o sabonete do corpo.

– Com a torneira aberta, são desperdiçados de 50 a 80 litros de água enquanto se escova os dentes, ou se faz a barba. Abra a torneira somente quando for necessário. Uma torneira aberta deixa correr de 12 a 20 litros de água por minuto. Depende de você não desperdiçá-los.

– Para lavar o carro com uma mangueira permanentemente aberta, mais de 600 litros de água são gastos!
   
– Se puder, recolha a água da chuva em baldes e a utilize para diferentes fins. Em nossas cidades cimentadas, sem a terra para absorvê-la, a água da chuva termina nos bueiros, misturada aos esgotos. É um presente do céu, desperdiçado.


Regue suas plantas de manhã cedo. Durante o dia, a evaporação da água é bem maior e, à noite, aumenta o risco de proliferação de fungos;– Plantas nativas consomem 54% menos água, são mais saudáveis e não esgotam o solo;
– Afofar a terra freqüentemente melhora a drenagem, diminui a quantidade de água por rega e afasta os insetos que se alimentam das raízes;– Não utilize pesticidas e, principalmente, não os jogue pelo ralo ou no solo. Eles vão contaminar o sistema de esgotos e contribuir para a poluição das águas; 

– Se tiver de usar detergente (existem várias soluções alternativas eficientes e não poluidoras), utilize quantidades mínimas e se certifique de que é biodegradável;

– Manuseie cuidadosamente os restos de tinta e procure se desfazer deles de maneira racional, dando, por exemplo, para alguém que precise. Lave os pincéis na pia, para que a tinta seja levada a uma estação de tratamento de água. Na
terra, a tinta infiltra-se e alcança o subsolo, contaminando o lençol freático. Três litros de solvente, por exemplo, podem contaminar 60 milhões de litros de água subterrânea;

– Racionalize o uso de pilhas e as encaminhe às caixas coletoras específicas: elas contaminam fortemente a água e o solo, com mercúrio e cádmio, e a atmosfera, com vapores tóxicos;
   
– Não troque o óleo do carro na rua, ou em oficinas em que não conheça o destino dado a ele. Óleo jogado no chão pode se infiltrar no solo e contaminar mananciais. Uma lata de um litro de óleo para motor é capaz de poluir um milhão
de litros de água potável. Jogar óleo no esgoto (ou na rua, onde acabará chegando ao esgoto) é o mesmo que despejá-lo diretamente num rio, ou lago. E apenas meio litro de óleo é suficiente para gerar uma mancha venenosa de milhares de metros quadrados;

Os desinfetantes sanitários, coloridos e perfumados, são levados pelo sistema de esgotos e acabam poluindo rios, lagos e mares;Receitas de limpeza mais ecológicas. É possível uma limpeza esmerada e fácil utilizando meios simples e acessíveis. Basta apenas possuir o conhecimento. Seguem algumas receitas:

ODORISADORES DE AMBIENTE:


– Utilizar ervas aromáticas. Incenso, por exemplo.
– Uma caixa aberta com bicarbonato de sódio dentro.
– Vinagre ou baunilha num prato durante uma hora.
– Marinar azeite de pinheiro, cravo ou um pau de canela ou baunilha numa xícara de água durante cinco minutos.
– Um balde de água no meio de uma divisão absorve o fumo e maus cheiros depois de algumas horas.
– O bicarbonato de sódio ajuda a eliminar os cheiros de cafeteiras e dos recipientes de plástico para a comida.
-Ferver um pouco de água na panela de pressão com bastantes ervas aromáticas de perfume agradável, como por exemplo tomilho ou alecrim, ou com especiarias como baunilha ou noz moscada. A panela deve estar tapada. Deixe cozinhar até o perfume ter a intensidade que desejar.
AZULEJOS E CERÂMICA
Para limpar azulejos ou cerâmica utilizar vinagre diluído em água ou giz (variedade de carbonato de cálcio) em pó com água.
CLAREAR A ROUPA
Para as partes mais sujas da roupa branca pôr de molho em bicarbonato de sódio e água antes de lavar; para qualquer roupa, lavar com amoníaco; na bacia de enxaguar pôr meia xícara  de vinagre,sumo de limão, bicarbonato de sódio ou bórax.
Para tingir a roupa de castanho deixar um tempo em água com cascas de nozes verdes.

CARPETES, TAPEÇARIAS
Espalhar bicarbonato de sódio ou farinha de milho. Esperar no mínimo um quarto de hora e passar o aspirador. Se for necessário tornar a repetir.

BANHEIRO, CHÃO E COZINHA
Esfregar com água e bicarbonato de sódio; com água quente e álcool; com água e bórax; ou com água quente (quatro litros) e vinagre branco (meio copo).
Para o chão de azulejos ou cimento lavar com água, secar e depois passar com azeite de linhaça.
Para as tampas sanitárias de plástico usar umas gotas de álcool para queimar.
Para as louças da casa de banho usar uma escova com vinagre ou bicarbonato de sódio; pode-se limpar também com amoníaco; com uma mistura de sal e vinagre quente; ou esfregar com limão.

CRISTAIS
Para limpar cristais usar uma cebola cortada; limpar com papel de jornal.
Se estiverem opacos limpar com um pano de lã com um pouco de azeite.

DESINFETANTES
Ferver durante aproximadamente meia hora, folhas e caules floridos de alecrim, alfazema, eucalipto, salva, tomilho, zimbro ou raiz de angélica. Usar o líquido para a limpeza de cozinhas, casa de banho, objectos. O chá de artemísia também é um bom desinfectante.

DESENTUPIDORES
Para evitar que os canos fiquem entupidos, pôr água a ferver uma vez por semana.
Se o cano estiver já entupido tapar o respirador (orifício superior da pia) com um pano e tentar com um desentupidor de borracha (ventosa). Pôr água a ferver pelo cano duas vezes por dia, depois meia xícara de bicarbonato de sódio e outra meia de vinagre quente.
Esperar uma hora e enxaguar com  água quente.

ESPELHOS
Para dar brilho aos espelhos limpar com um pano de lã embebido num pouco de azeite ou bicarbonato de sódio líquido. No último caso limpar depois com água e secar com uma toalha macia.

ESPONJAS
Quer sejam naturais ou sintéticas deixá-las um dia numa solução de
125 gramas de sal por litro de água. Espremê-las e deixar secar.

FOGÕES
Limpar com papel de jornal faz com que fiquem mais brilhantes.

FORNOS
Nas manchas ainda recentes põe-se água e espalha-se bicarbonato de sódio; se são muito difíceis de sair pode colocar-se sal e limpar quando ficar frio.
Para cheiros persistentes deixar uma caixa aberta com bicarbonato de sódio, tirando-a antes de voltar a usar o forno.

GARRAFAS
Pôr dentro da garrafa um pouco de areia e papel de jornal cortado às tiras. Agitar bem. Se as manchas mais duras não saírem repetir a operação.

INOX
Limpar com uma pasta de bicarbonato de sódio e água. Para as torneiras usa-se umas gotas de álcool para queimar.

JANELAS
Limpar com água quente com um pouco de vinagre, álcool ou sumo de limão; duas ou três gotas de álcool para queimar num balde de água.
Nunca limpar quando bate o sol, pois ficam com brilho azulado. Podem secar-se com papel de jornal.

MANCHAS
É melhor tentar eliminá-las quando são recentes.
Se são de azeite ou gordura pôr pó talco ou giz (argila branca), deixar repousar um pouco e depois lavar.
Se são de vinho, pôr sal, deixar repousar e lavar com água fria; depois pode molhar-se com vinagre branco. Se são de transpiração, lavar com uma solução de água e sal; com vinagre ou uma pasta de bicarbonato de sódio e água.
Se são de tinta e recentes, pôr uma camada de sal e quando esta absorver a cor colocar outra camada de sal; o resto de tinta que persista sai com um pouco de álcool para queimar.
As marcas de caneta nas paredes pintadas ou nas de madeira saem com essência de vinagre.
O giz limpa também as manchas de fumo e de tabaco na porcelana e as de massa vidraceira nas janelas.
O vinagre impede que a roupa perca a cor, dá-lhe um aroma fresco, amacia os tecidos de lã e elimina as manchas de transpiração.

MÓVEIS
Para dar brilho aos móveis usar sumo de limão misturado com o dobro de azeite. Aplicar com um pano. Também se pode misturar três quartos de azeite e um quarto de vinagre, adicionando também água.
Para limpar misturar uma colher (chá) de aguarrás com três colheras (sopa) de azeite de linhaça e um litro de água. Agitar bem e deixar assentar.
Os círculos brancos saem bem com cinza e água.
Alguns riscos podem sair passando uma noz sem casca.
A nogalina, pó para diluir em água, dá um pigmento excelente para a madeira não tratada, e o azeite de linhaça é bom para conservar.
Para limpar as molduras de madeira passar uma cebola cortada.

OBJETOS DE COBRE
Para limpar objectos de cobre, esfregar com uma cebola cortada, ou com uma pasta de sumo de limão, sal e farinha.

OBJETOS DE METAL
Limpar com vinagre puro.

PANELAS COM COMIDA AGARRADA
Deixar em água quente com sal ou cinza ou ferver com água e vinagre.

PINCÉIS
Pôr de molho em vinagre quente diluído (excepto os pincéis de esmalte).

PORCELANA
Esfregar com meio limão; com sal e vinagre quente; ou com bicarbonato de sódio e água.

PORTAS METÁLICAS
Aplicar uma camada de azeite de linhaça para evitar a oxidação.

PRATA
Pôr os objectos em
1,5 litro de água quente, uma colher de sal, uma colher (chá) de bicarbonato e um bocadinho de papel de alumínio.
Ferver dois ou três minutos e limpar com um pano.
Também se pode limpar com uma pasta de bicarbonato de sódio e água; ou com a pele de batata crua ou a água de ferver as batatas.

PRATOS E TALHERES
O limão e o vinagre tiram a gordura e os deixam brilhantes.
 

Aí estão as receitinhas de nossas avós: baratas, fáceis de fazer e que não poluem o meio ambiente. Fácil não?

Fonte: http://www.eco-gaia.net/forum-pt/index.php#4

Matéria Relacionada: Faxina Sustentável

%d blogueiros gostam disto: