Uma Horta Suspensa

Por Cristiane Marangon

Canteiros Suspensos

Os vasinhos vão comprovar a importância da terra e das plantas e despertar na turma a responsabilidade pela natureza

Para mostrar aos alunos que muitos dos alimentos que consomem são produzidos pela terra, nada como montar uma horta. O trabalho se torna ainda mais rico quando eles aprendem a plantar e a colher os vegetais. Mesmo que a escola não tenha uma área livre para esse fim, é possível desenvolver o trabalho.

O modelo aqui proposto, com vasos feitos de garrafas PET, possibilita cultivar temperos, como salsinha e cebolinha (foto), ervas medicinais e flores, todas plantas com pouca raiz. Embora seja uma horta compacta, seus produtos podem ser consumidos. Aproveite-os no enriquecimento da merenda escolar.

Quando o trabalho é desenvolvido com crianças, prefira as sementes às mudas. Assim elas podem acompanhar todo o processo de germinação. Ensine a turma que para as plantas crescerem viçosas é necessário que tomem cinco horas de sol por dia. Por isso, devem ficar fora da sala de aula. Também precisam de água diariamente. No período de calor, são duas regas, uma de manhã bem cedo e outra no final da tarde. Na hora da colheita, um cuidado é essencial para evitar que as raízes da salsinha e da cebolinha morram: cortar as ervas três dedos acima da terra.

De acordo com Marcelo Alexander Mattiuci, coordenador de Educação Ambiental da Associação Ituana de Proteção Ambiental, o fato de a horta estar vistosa não é o mais importante num trabalho desse tipo. “O que realmente interessa é que o aluno crie responsabilidade em torno de tudo o que diz respeito à natureza e também ao lugar em que vive, como a escola, ou a sua casa.”

Material necessário

  3 garrafas PET vaziasMaterial
  3 suportes para floreira
  1,2 quilos de terra
  800 gramas de adubo
  1 quilo de areia
  Sementes de salsinha e   cebolinha
 Água
 Estilete
 Tesoura
12 parafusos com bucha
Pá e rastelo

Como fazer

1. Corte as garrafas
Com o estilete, faça uma abertura de 13 por 20 centímetros nas três garrafas. Duas delas, que servirão de jardineiras, devem ser furadas na parte de baixo para que a água escorra (foto). A terceira garrafa terá a função de armazenar a água excedente da rega.

Cortando a garrafa PET

 2. Prepare a terra
Misture três partes de terra com duas de esterco de gado bem curtido, que não tem cheiro como o de galinha. Coloque a terra em duas garrafas, plante as sementes e regue.

3. Evite a água parada
Coloque areia na terceira garrafa, que funcionará como prato. Assim, você impede que surjam na água focos de mosquito da dengue.

4. Pendure a horta
Escolha uma parede em que bata bastante sol e fixe os suportes, deixando 20 centímetros de espaço entre um e outro. Pendure as jardineiras a uma altura que permita às crianças ver as plantas.

faca_5.jpg

Outra opção
Se você preferir, pode montar sua hortinha utilizando outros modelos de suporte.
No mercado existem vários tipos. Outra opção é pendurar as garrafas com cordas finas, que são mais baratas. Para deixar os vasos ainda mais bonitos, pinte-os com tinta acrílica, como o da foto ao lado.

Outra dica interessante da Gilda Lima, lá do Multiply, é que se pode plantar pimentões, a partir das sementes que descascamos! Eu aqui, planto tomates e vou tentar plantar nesses vasinhos estilosos também! Abriu a geladeira e o tempero acabou ou está murcho? Não tem problema, vamos pegar lá na horta da varanda!

Fonte: http://novaescola.abril.com.br

Faxina Sustentável II

Quando pensar em limpar a casa, faxina-no-planeta.jpgpense também na saúde do seu corpo e do planeta, escolhendo produtos simples e naturais, que não aumentem ainda mais a poluição existente. Através de materiais mais simples e naturais, podemos limpar,  não somente nossa casa, mas também ajudar a limpar o planeta.                       

                                 Soluções Alternativas:

*Limpar Tudo: Solução de 4 colheres de sopa de bicarbonato de sódio em um litro de água morna. Adicione uma colher de sopa de vinagre branco, ou suco de limão,
para dissolver a gordura.

* Desentupir pia: Jogue no ralo um punhado de bicarbonato de sódio, algumas colheres de vinagre branco e água fervente.

* Limpar vidro: Passe uma solução com água e vinagre, e depois use jornal para dar brilho.

* Desodorizante de ambiente: 4 colheres de sopa de vinagre num pratinho colocado sob um móvel. As plantas também funcionam como ótimos purificadores do ar.

* Para encerar: Misturar uma parte de óleo vegetal, como a linhaça, com outra parte de suco de limão ou vinagre, e aplique com uma flanela.* Para lustrar móveis: Fazer uma solução de uma parte de suco de limão e duas partes de óleo vegetal. Dê brilho com uma flanela.

* Desinfetante sanitário: Misturar bicarbonato de sódio com vinagre.

* Adubo natural: Um verdadeiro adubo para as plantas pode ser obtido com substâncias normalmente desprezadas e desperdiçadas. A água que cozinha as batatas (sem sal e fria), a água da lavagem do arroz, os restos de chá preto,
borra do café – tudo isso funciona como um excelente adubo. Da mesma maneira, as cascas de batata e de cenoura podem ser colocadas diretamente nos vasos para ajudar o desenvolvimento das plantas. 

* Pesticida natural: Ferver folhas de ruibarbo, durante meia hora, em quatro litros de água. Acrescentar uma colher de chá de sabão de coco, para a mistura aderir às folhas e expulsar os pulgões.

* Tira ruído : Se a porta estiver rangendo, faça uma mistura de raspa de grafite (ponta de lápis) e algumas gotas de óleo de cozinha. Coloque aos poucos nas dobradiças, fazendo um movimento de abrir e fechar a porta, para que a mistura penetre bem nas dobradiças.

* Tira manchas: Manchas de gordura são retiradas com uma mistura de água quente com sabão e umas gotas de detergente (de preferência, biodegradável). Lavar e, se restar algum vestígio, polvilhar talco e deixar por algumas horas; esfregar um pedaço de cebola também resolve. Manchas de frutas e doces desaparecem com álcool ou vinagre branco, e manchas de tinta de escrever devem ser lavadas com leite. Na falta do leite, também pode ser usado um punhado de sal umedecido com limão e colocado sobre a mancha, lavando-se em seguida. Mancha de café desaparece esfregando imediatamente, e com paciência, uma pedrinha de gelo até que a mancha suma.
   
* Espantar moscas e mosquitos: Folhas de louro, eucalipto e manjericão, maceradas em água ou espalhadas pelo  ambiente.

* Evitar traças: Usar cânfora, em vez de naftalina. É tão eficiente e menos tóxica.

* Afastar pulgas: Lavar os animais de estimação com água e sabonete (de preferência, feito com óleo de neem, que possui uma ação repelente sem ser tóxica). Enxugar. Aplicar a seguinte solução para manter as pulgas à distância:
 

2 colheres de sopa de alecrim fervidas em um litro de água. Espalhar também pela casa folhas de erva-de-Santa-Maria e poejo. 

* Afastar os parasitas das plantas: Colocar no liquidificador 3 cebolas, 1 cabeça de alho, 2 pimentas-malagueta e 1 colher de sabão em barra. Bater com meio litro de água e espalhar esta mistura nas plantas. Pode-se também colocar alguns dentes de alho em um pouco de água (se possível, de chuva) e deixar impregnar por cerca de dez dias. Usar, então, em um spray, para pulverizar as plantas. 

* Pasta de limpeza: Em vez de desperdiçar os restos de sabão (de preferência, biodegradável), reaproveite-os em uma excelente pasta de limpeza. Basta deixar os restos de sabão de molho em um pouco de água (o necessário para formar uma pasta) e, depois, misturar uma colher de vinagre e duas colheres de açúcar. Está pronta sua pasta de limpeza!
   
* Tira umidade: Coloque um recipiente com pedaços de carvão no fundo dos armários, ou então pendure pedaços de giz. Sempre com o cuidado de não sujar as roupas.

* Fórmula mágica: A velha combinação de água quente e sabão (de preferência, biodegradável) continua sendo o melhor detergente. Ela limpa pisos de cerâmica, ladrilhos e azulejos, tira manchas de parede e a gordura das superfícies. E, melhor ainda, ajuda a não poluir a Terra. 
   
Mais informações:
– Evite a indústria dos descartáveis: prefira o coador de pano, os alimentos fora das bandejas de isopor, o copo de vidro, o guardanapo de pano, enfim, todo produto que se use, lave e use novamente, em vez de jogar fora. Assim, você economiza os recursos da natureza e diminui a quantidade de lixo, um dos grandes problemas do nosso tempo;

Não “varra” nada com água, e sim com uma vassoura;

– Quando for molhar os vasos de plantas, coloque um prato embaixo para apanhar a água em excesso, e utilize essa água para molhar outras plantas;

– Quando trocar a água de seus animais de estimação, use a antiga para molhar as plantas;

– Cerca de 75% da água que consumimos em casa são gastos no banheiro. 32% do consumo doméstico de água vêm dos chuveiros: um banho de chuveiro gasta cerca de 20 litros de água por minuto. Por amor à vida do planeta, deixe a torneira aberta somente para se molhar e retirar o sabonete do corpo.

– Com a torneira aberta, são desperdiçados de 50 a 80 litros de água enquanto se escova os dentes, ou se faz a barba. Abra a torneira somente quando for necessário. Uma torneira aberta deixa correr de 12 a 20 litros de água por minuto. Depende de você não desperdiçá-los.

– Para lavar o carro com uma mangueira permanentemente aberta, mais de 600 litros de água são gastos!
   
– Se puder, recolha a água da chuva em baldes e a utilize para diferentes fins. Em nossas cidades cimentadas, sem a terra para absorvê-la, a água da chuva termina nos bueiros, misturada aos esgotos. É um presente do céu, desperdiçado.


Regue suas plantas de manhã cedo. Durante o dia, a evaporação da água é bem maior e, à noite, aumenta o risco de proliferação de fungos;– Plantas nativas consomem 54% menos água, são mais saudáveis e não esgotam o solo;
– Afofar a terra freqüentemente melhora a drenagem, diminui a quantidade de água por rega e afasta os insetos que se alimentam das raízes;– Não utilize pesticidas e, principalmente, não os jogue pelo ralo ou no solo. Eles vão contaminar o sistema de esgotos e contribuir para a poluição das águas; 

– Se tiver de usar detergente (existem várias soluções alternativas eficientes e não poluidoras), utilize quantidades mínimas e se certifique de que é biodegradável;

– Manuseie cuidadosamente os restos de tinta e procure se desfazer deles de maneira racional, dando, por exemplo, para alguém que precise. Lave os pincéis na pia, para que a tinta seja levada a uma estação de tratamento de água. Na
terra, a tinta infiltra-se e alcança o subsolo, contaminando o lençol freático. Três litros de solvente, por exemplo, podem contaminar 60 milhões de litros de água subterrânea;

– Racionalize o uso de pilhas e as encaminhe às caixas coletoras específicas: elas contaminam fortemente a água e o solo, com mercúrio e cádmio, e a atmosfera, com vapores tóxicos;
   
– Não troque o óleo do carro na rua, ou em oficinas em que não conheça o destino dado a ele. Óleo jogado no chão pode se infiltrar no solo e contaminar mananciais. Uma lata de um litro de óleo para motor é capaz de poluir um milhão
de litros de água potável. Jogar óleo no esgoto (ou na rua, onde acabará chegando ao esgoto) é o mesmo que despejá-lo diretamente num rio, ou lago. E apenas meio litro de óleo é suficiente para gerar uma mancha venenosa de milhares de metros quadrados;

Os desinfetantes sanitários, coloridos e perfumados, são levados pelo sistema de esgotos e acabam poluindo rios, lagos e mares;Receitas de limpeza mais ecológicas. É possível uma limpeza esmerada e fácil utilizando meios simples e acessíveis. Basta apenas possuir o conhecimento. Seguem algumas receitas:

ODORISADORES DE AMBIENTE:


– Utilizar ervas aromáticas. Incenso, por exemplo.
– Uma caixa aberta com bicarbonato de sódio dentro.
– Vinagre ou baunilha num prato durante uma hora.
– Marinar azeite de pinheiro, cravo ou um pau de canela ou baunilha numa xícara de água durante cinco minutos.
– Um balde de água no meio de uma divisão absorve o fumo e maus cheiros depois de algumas horas.
– O bicarbonato de sódio ajuda a eliminar os cheiros de cafeteiras e dos recipientes de plástico para a comida.
-Ferver um pouco de água na panela de pressão com bastantes ervas aromáticas de perfume agradável, como por exemplo tomilho ou alecrim, ou com especiarias como baunilha ou noz moscada. A panela deve estar tapada. Deixe cozinhar até o perfume ter a intensidade que desejar.
AZULEJOS E CERÂMICA
Para limpar azulejos ou cerâmica utilizar vinagre diluído em água ou giz (variedade de carbonato de cálcio) em pó com água.
CLAREAR A ROUPA
Para as partes mais sujas da roupa branca pôr de molho em bicarbonato de sódio e água antes de lavar; para qualquer roupa, lavar com amoníaco; na bacia de enxaguar pôr meia xícara  de vinagre,sumo de limão, bicarbonato de sódio ou bórax.
Para tingir a roupa de castanho deixar um tempo em água com cascas de nozes verdes.

CARPETES, TAPEÇARIAS
Espalhar bicarbonato de sódio ou farinha de milho. Esperar no mínimo um quarto de hora e passar o aspirador. Se for necessário tornar a repetir.

BANHEIRO, CHÃO E COZINHA
Esfregar com água e bicarbonato de sódio; com água quente e álcool; com água e bórax; ou com água quente (quatro litros) e vinagre branco (meio copo).
Para o chão de azulejos ou cimento lavar com água, secar e depois passar com azeite de linhaça.
Para as tampas sanitárias de plástico usar umas gotas de álcool para queimar.
Para as louças da casa de banho usar uma escova com vinagre ou bicarbonato de sódio; pode-se limpar também com amoníaco; com uma mistura de sal e vinagre quente; ou esfregar com limão.

CRISTAIS
Para limpar cristais usar uma cebola cortada; limpar com papel de jornal.
Se estiverem opacos limpar com um pano de lã com um pouco de azeite.

DESINFETANTES
Ferver durante aproximadamente meia hora, folhas e caules floridos de alecrim, alfazema, eucalipto, salva, tomilho, zimbro ou raiz de angélica. Usar o líquido para a limpeza de cozinhas, casa de banho, objectos. O chá de artemísia também é um bom desinfectante.

DESENTUPIDORES
Para evitar que os canos fiquem entupidos, pôr água a ferver uma vez por semana.
Se o cano estiver já entupido tapar o respirador (orifício superior da pia) com um pano e tentar com um desentupidor de borracha (ventosa). Pôr água a ferver pelo cano duas vezes por dia, depois meia xícara de bicarbonato de sódio e outra meia de vinagre quente.
Esperar uma hora e enxaguar com  água quente.

ESPELHOS
Para dar brilho aos espelhos limpar com um pano de lã embebido num pouco de azeite ou bicarbonato de sódio líquido. No último caso limpar depois com água e secar com uma toalha macia.

ESPONJAS
Quer sejam naturais ou sintéticas deixá-las um dia numa solução de
125 gramas de sal por litro de água. Espremê-las e deixar secar.

FOGÕES
Limpar com papel de jornal faz com que fiquem mais brilhantes.

FORNOS
Nas manchas ainda recentes põe-se água e espalha-se bicarbonato de sódio; se são muito difíceis de sair pode colocar-se sal e limpar quando ficar frio.
Para cheiros persistentes deixar uma caixa aberta com bicarbonato de sódio, tirando-a antes de voltar a usar o forno.

GARRAFAS
Pôr dentro da garrafa um pouco de areia e papel de jornal cortado às tiras. Agitar bem. Se as manchas mais duras não saírem repetir a operação.

INOX
Limpar com uma pasta de bicarbonato de sódio e água. Para as torneiras usa-se umas gotas de álcool para queimar.

JANELAS
Limpar com água quente com um pouco de vinagre, álcool ou sumo de limão; duas ou três gotas de álcool para queimar num balde de água.
Nunca limpar quando bate o sol, pois ficam com brilho azulado. Podem secar-se com papel de jornal.

MANCHAS
É melhor tentar eliminá-las quando são recentes.
Se são de azeite ou gordura pôr pó talco ou giz (argila branca), deixar repousar um pouco e depois lavar.
Se são de vinho, pôr sal, deixar repousar e lavar com água fria; depois pode molhar-se com vinagre branco. Se são de transpiração, lavar com uma solução de água e sal; com vinagre ou uma pasta de bicarbonato de sódio e água.
Se são de tinta e recentes, pôr uma camada de sal e quando esta absorver a cor colocar outra camada de sal; o resto de tinta que persista sai com um pouco de álcool para queimar.
As marcas de caneta nas paredes pintadas ou nas de madeira saem com essência de vinagre.
O giz limpa também as manchas de fumo e de tabaco na porcelana e as de massa vidraceira nas janelas.
O vinagre impede que a roupa perca a cor, dá-lhe um aroma fresco, amacia os tecidos de lã e elimina as manchas de transpiração.

MÓVEIS
Para dar brilho aos móveis usar sumo de limão misturado com o dobro de azeite. Aplicar com um pano. Também se pode misturar três quartos de azeite e um quarto de vinagre, adicionando também água.
Para limpar misturar uma colher (chá) de aguarrás com três colheras (sopa) de azeite de linhaça e um litro de água. Agitar bem e deixar assentar.
Os círculos brancos saem bem com cinza e água.
Alguns riscos podem sair passando uma noz sem casca.
A nogalina, pó para diluir em água, dá um pigmento excelente para a madeira não tratada, e o azeite de linhaça é bom para conservar.
Para limpar as molduras de madeira passar uma cebola cortada.

OBJETOS DE COBRE
Para limpar objectos de cobre, esfregar com uma cebola cortada, ou com uma pasta de sumo de limão, sal e farinha.

OBJETOS DE METAL
Limpar com vinagre puro.

PANELAS COM COMIDA AGARRADA
Deixar em água quente com sal ou cinza ou ferver com água e vinagre.

PINCÉIS
Pôr de molho em vinagre quente diluído (excepto os pincéis de esmalte).

PORCELANA
Esfregar com meio limão; com sal e vinagre quente; ou com bicarbonato de sódio e água.

PORTAS METÁLICAS
Aplicar uma camada de azeite de linhaça para evitar a oxidação.

PRATA
Pôr os objectos em
1,5 litro de água quente, uma colher de sal, uma colher (chá) de bicarbonato e um bocadinho de papel de alumínio.
Ferver dois ou três minutos e limpar com um pano.
Também se pode limpar com uma pasta de bicarbonato de sódio e água; ou com a pele de batata crua ou a água de ferver as batatas.

PRATOS E TALHERES
O limão e o vinagre tiram a gordura e os deixam brilhantes.
 

Aí estão as receitinhas de nossas avós: baratas, fáceis de fazer e que não poluem o meio ambiente. Fácil não?

Fonte: http://www.eco-gaia.net/forum-pt/index.php#4

Matéria Relacionada: Faxina Sustentável

Faxina Sustentável

O Menino Maluquinho

Trago do Blog O FUTURO DO PRESENTE a dica excelente da Mercedes Lorenzo que, atenta à necessidade de consumir sem poluir,  resolveu experimentar e acabou encontrando uma fórmula maravilhosa de material de limpeza que não usa cloro, alvejantes, detergentes, enfim, nenhum produto químico agressivo ao Meio Ambiente.

Para quem nunca pensou sobre o assunto, a quantidade de cloro e produtos agressivos ao Meio Ambiente despejados no esgoto nas grandes cidades é absurda e o esgoto vai parar no rio que vai para os mares e… Sabe aquela história de corais morrendo, de mortandade de peixes… Nós somos responsáveis também. Pense nisso e depois de ler a “dica” da Mercedes, vai ver que pode ser prático, econômico e, principalmente ecológico fazer seu próprio material de limpeza doméstica!

 O Planeta agradece e o Futuro também .

PRODUTOS DE LIMPEZA ATÓXICOS E EFICAZES

“Quando paramos para pensar nas atitudes que podemos tomar em relação à nossa saúde e à saúde do meio ambiente, invariavelmente tudo começa na nossa casa.

Assim como a separação do lixo para reciclagem, a escolha de alimentos sem agrotóxicos, etc… o uso de produtos de limpeza também pode ser pensado com critério.

Buscando informações a esse respeito, fiquei surpresa com a quantidade de receitas de produtos de limpeza caseiros e não poluentes disponível na internet, para quem quiser realmente deixar de despejar pelo ralo aqueles líquidos coloridos e perfumados que escondem vários componentes nocivos (e na maioria das vezes bem pouco eficientes).

Uma outra informação, que poderíamos chamar mesmo de alerta, vem da Agência de Proteção ao Meio Ambiente dos Estados Unidos: a agência afirma em relatório que a poluição do ar no interior das casas é um dos problemas de saúde ambiental mais importantes do país.

A concentração de substâncias químicas nocivas provenientes de produtos de limpeza tóxicos é de 2 a 70 vezes mais alta do que nos ambientes externos.

Foram detectadas 150 substâncias químicas nas casas.
E parece que a situação é a mesma no Brasil.

Diante desse quadro, porque não experimentar as inúmeras alternativas ao nosso dispor?
Foi o que resolvi fazer.

Já consegui substituir quase a totalidade dos produtos de limpeza aqui de casa, e agora posso afirmar com absoluta certeza: não há dificuldade nenhuma nessa mudança.
Um bom exemplo é a receita de limpador multiuso ecológico que deixo para vocês a seguir, encontrada no site do IPEMA (
http://www.ipemabrasil.org.br/receita.htm ), que me deixou absolutamente encantada.

Esse limpador pode substituir sozinho 80% de tudo o que há na sua prateleira: ele limpa pisos, azulejos, banheiro, cozinha, fórmicas, granito, ardósia, vidros… nem sei o que mais!

E o mais bacana é que limpa com facilidade, sem precisar fazer força.
O cheiro é agradável e o preço é ridículo.

Todos os ingredientes são biodegradáveis, e eu os encontrei numa farmácia de manipulação (fora o vinagre, que comprei no mercado).

Veja só:

  1. · Vinagre branco – (1 colher de sopa)
    · Amônia líquida (amoníaco) – (1 colher de sopa)
    · Bicarbonato de sódio – (1 colher de sopa)
    . Ácido bórico (bórax) – (1 colher de sopa)
    . 1 litro de água

Como qualquer produto de limpeza convencional, mantenha os produtos ecológicos fora do alcance de crianças e animais domésticos.

Minhas dicas: se quiser “incrementar” o produto com um cheirinho gostoso, em vez de água pura use um chá forte (sem açúcar) feito de folhas de alecrim, folhas de eucalipto ou casca de limão fervido e coado. Eu faço uma receita dupla (dois litros de água e duas colheres de cada ingrediente) para deixar pronta numa garrafa PET devidamente rotulada, na área de serviço.
Agora é com você!”

Mercedes Lorenzo Folha Verde
Abraços.

Matéria relacionada: Faxina Sustentável II

https://ecoamigos.wordpress.com/2007/10/09/faxina-sustentavel-ii/

%d blogueiros gostam disto: